Thursday, August 18, 2011

Passeios de Salem

Salem, Parte 3:

Vixe, esse post ficou longo! Mas la vai:

Chegamos na cidade de Salem ja no final da tarde (devido a termos parado num shopping de outlets antes) e nossa primeira tour (ou passeio com um guia) foi um "Ghost Tour". Foi interessante, mas tinha tanta gente no grupo, que atrapalhou um pouco. Vimos a cidade meio que no escuro, ja que ja estava anoitecendo.








Nem preciso dizer que estavamos exaustas, ne? Foi uma viagem de 12 horas de carro e no final desse dia ja estavamos acordadas por umas 36 horas, rs. Dormimos que nem pedras nessa noite!

O dia seguinte foi melhor aproveitado. Exploramos a cidade, visitamos um museu de piratas e mais pro finzinho do dia fizemos a melhor tour na minha opiniao, a "Hocus Pocus". Dava pra ver que a guia tinha paixao por historia e pela cidade, alem de saber contar a respeito super bem e fazer tudo ser muito interessante.

Aprendi muita coisa nova com ela, inclusive que a pratica de queimar as bruxas nao predominava em Salem ou nos USA, era algo mais da Europa. Isso porque perguntamos pra ela sobre as pessoas terem sido enforcadas quando vimos os nomes no memorial e nao vimos que nenhuma foi queimada.

Todas as tours nos levaram no mesmo cemiterio (Old Burying Point), que fica ali atras do memorial das vitimas. Eh o cemiterio mais velho de Salem e o segundo mais velho do pais, construido em 1637.

Eu amo explorar cemiterios e ficar vendo e lendo os nomes em tumulos antigos e nunca tinha visto lapides tao finas quanto aquelas. Talvez devido a epoca ou lugar, mas de inicio ate pensei que algumas do lado dessa igreja abaixo eram de mentira.

Tirei muitas fotos ali e hoje achei um site falando a respeito e em detalhes sobre varios tumulos (o que achei super interesserante, pois tirei fotos de alguns justamente pra poder procurar sobre a pessoa enterrada ali mais tarde na internet).


























A cidadezinha tambem eh bem bonitinha, vou falar a respeito num outro post. Durante esses dias, andamos por ali e visitamos varios lugares:

- The Witch House:
Essa casa era de um dos juizes dos julgamentos das bruxas, chamado Jonathan Corwin. Ele era parte do magistrato e responsavel pela investigacao das atividades diabolicas. Ele foi um dos que condenou 19 pessoas inocentes a forca.











A casa foi comprada pelo juiz em 1675 quando ele tinha somente 24 anos e viveu la por 40. Ela continuou na familia ate mais ou menos o meio de 1800 e virou museu oficialmente em 1948. Eh super interessante, pois oferece informacao sobre o estilo de vida do seculo 17, mostra moveis e arquitetura da epoca, alem de informacao sobre eventos de 1692.

Como sempre eu fiquei ali olhando cada coisinha com calma pra reparar nos detalhes. Pena que nao podia tirar foto com flash ali dentro e muitas das minhas fotos sairam meio tremidas ja que eu nao tinha o meu tripe comigo.





















Esses sapatos foram encontrados "enterrados" na estrutura da casa, algo comum na epoca significando protecao da casa e dos habitantes. Vi o mesmo gesto la naquela prisao que visitei em Jim Thorpe (nao coloquei as fotos desse outro sapato velho naquele post)... Interessante, pois nao sabia dessa tradicao ou superticao.








E olha as receitas dos remedios da epoca (documentos originais) feitos com agua de lesma e coco de cavalo... Ja mencionei que dou gracas aos ceus que nasci nesse seculo atual, ne?








- The Witch Dungeon
Muito interessante esse museu e as historias me deram arrepios. Assistimos uma encenacao com duas atrizes durante um julgamento da epoca: uma vitima sendo acusada e a outra acusando. Tanto absurdo!

Depois desse pequeno teatro descemos pro porao, onde eles tinham cenas de como as pessoas eram incarceradas durante essa histeria e fiquei de boca aberta com uma das celas. Era vertical, do tamanho de um caixao praticamente. Desciam a vitima de pe ali nesse "buraco" onde ela era incapaz de sentar, muito menos deitar. E ficava ali com o chao de terra coberto com as suas feses debaixo dos seus pes. Fora os ratos, ne? As condicoes eram precarias e essas vitimas ainda tinham que pagar pra estarem ali.

Foi nesse museu tb onde eles tinham aquele post original desse porao (pedaco de madeira que segura a estrutura do predio). Eu nao sei porque nao tirei foto, mas minhas cunhadas tiraram (essa ai do lado esquerdo) (quando elas me mandarem suas fotos, eu coloco aqui). Podiamos toca-lo, mas foi meio arrepiante, mesmo eles dizendo que a lenda eh de dar sorte pra quem o toca. As coisas que esse pedaco de madeira deve ter visto... Ai se ele pudesse falar.

Agora pra descontrair, olha so a pose de modelo de comercial de shampoo da minha cunhada nessa ultima foto. Morri de rir. Cabeca dentro do stocks mas com o vestido e cabelo voando aos ventos.




























- Salem Witch Museum
Quase nao tivemos tempo de visitar esse museu. Fomos no ultimo horario do ultimo dia e apesar da encenacao com manequins ter sido super interessante (contando novamente a historia do histerismo), a parte do museu foi super fraca. Estava esperando muito mais de tanto que as pessoas falavam desse museu. Sai meio desapontada. Nao pudiamos tirar fotos la dentro, por isso so tem fotos la fora.











- Fizemos uma tour (passeio) com um "bruxo" de verdade. Essa foi a tour que menos gostei e se estivesse sozinha teria saido no meio. Talvez por ja estar super cansada de andar (essas tours nos leva pra cima e pra baixo pela cidade) ou com vontade de visitar outras coisas e lugares, mas sei la, nao gostei, apesar dele ter sido meio engracado. E fiquei mais chateada ainda por ter sido nosso ultimo dia e devido a essa tour, termos perdido o horario de visitar certas casas famosas que so abrem nos finais de semana (e estariamos indo embora cedo no dia seguinte).

Esse da foto abaixo eh o bruxo e a foto do lado direito eh de uma placa no predio onde era o local da antiga prisao das bruxas. Hoje em dia eh um predio novo de comercio.








- House of the Seven Gables
O famoso livro do Nathaniel Hawthorne com esse mesmo titulo foi baseado nessa casa. Eu nunca o li, mas me interessei ao visita-la. Na verdade era a casa da sua rica prima e vimos ate mesmo o sofa onde o famoso escritor escreveu seu livro e as cadeiras da mesa de jantar onde sentava quando a visitava.

Parece que no livro ele se refere a uma passagem secreta na casa e nao eh que tem mesmo? O guia nos deixou subir as escadas super estreitas dessa passagem e tinhamos ate que virar de lado pra conseguir continuar em frente. Super, super legal, mas nao eh para os claustrofobicos.

As coisas dentro da casa sao 100% autenticas dessa familia, por isso era extremamente proibido tirar qualquer foto la dentro. Uma pena, pois sai babando por uma mesa na cozinha onde eles usavam pra fazer tudo (menos jantar) e nem uma fotinha eu pude tirar. Ah se eu tivesse dinheiro pra comprar uma mesa dessas! Super antiga e caindo aos pedacos, mas eu quero!!!

Outro fato interessante: Esse escritor eh decendente de John Hathorne, um dos juizes que condenou 19 vitimas a morte. E dizem que ele tinha tanta vergonha de ser associado a esse bando de loucos que adicionou o "w" ao seu sobrenome pra nao relacionarem ele a familia "Hathorne". Ninguem sabe bem o porque ele escolheu essa letra, talvez devido a palavra "witch"?

Fotos da casa e do fundo do quintal:


















- The Great Escape (o site deles tem otimas fotos do "passado" e "presente", super legais)
Essa era uma prisao construida em 1813 que virou restaurante de um lado e condominio com 23 apartamentos no outro. Funcionou ate 1991 e no inicio mantinha prisioneiros de todas as idades e sexo. Os crimes variavam desde coisas mais severas como assassinatos, estupros, as coisas mais mundanas: mulheres que nao mantiam a sua casa limpa (eu seria entao uma das prisioneiras) e criancas desobedientes (estou falando serio).

Dizem que o lugar eh assombrado hoje em dia (claro, ne?), mas o restaurante contem o chao original de granito da prisao, um bar feito de portas recicladas das celas originais e grades nas janelas e em varios outros lugares.







E olha, serviram a melhor comida que ja comi!!!! E tb tivemos o melhor garcon do mundo que me fez rir tanto que alem de ficar sem conseguir respirar, quase fiz xixi na calca...








Talvez a historia seja ate meio sem graca pros outros que nao estavam la, mas pra deixar de recordacao pra mim:

Carey e eu dividimos um cheesecake de sobremesa. Nao sei porque deixamos so um pedacinho sobrando e nenhuma das duas queria come-lo. O garcon vem (depois de ja brincar conosco o jantar todo) e pergunta o pq de termos deixado esse minusculo pedaco. Ele diz que era inaceitavel, pega o prato na mao, finca o garfo no pedaco de cheesecake e faz um gesto de aviaozinho (igual para uma crianca) indo em direcao a boca da Carrie e o enfia la dentro. Eu juro que gargalhei durante uns 10 minutos seguidos, ja estava ate passando mal de tanto rir! A cara dela entao foi hilaria tb!








E ja que eu perdi a oportunidade de tirar uma foto dessa cena hilaria, pedimos pra ele sentar ali pra uma foto pra posteridade. E assim que sentou ja foi falando pra Carrie: "Please, keep your hands north of the equator?" (Tipo, "Mantenha as maos acima da linha do Equador"). Nem preciso dizer que deixamos uma super gorjeta pra ele, ne?









To be continued...

7 comments:

zzaguiar said...

Que aventura amiga! eu teria adorado estar junto! só não gosto muito de cemiterio. Qdo via as fotos d emanhã, pensei: nossa que macabra minha amiga! pq tantas fotos d etúmulos? agora está explicado...

Qto ao restaurante, ainda bem que o garçom era divertido, pq o astral ali sem ele deveria ser meio carregado... Que meda! sabe, deveria ser divertido ir com a Laurinha, por causa dos sustos. Leeeeembra pirua da noite que quase morremos de medo?

Adorei Lucinha, vc não opoderia ter ido para outro lugar!

Beijinhos, zz.

Lucia Maria said...

O Al falou a mesma coisa, hahaha. De eu gostar de cemiterios, campos de batalhas (que fomos visitar)... Nao sei pq essas coisas me atraem, acho que eh a idade do lugar, as coisas que aconteceram (a historia), as pessoas da epoca...

Pois eh, com a Laura teria sido divertido, mas a Kelly eh igual! Sabe aquela foto minha bem de longe no meio dos tumulos? Aquele canto dizem ter uma energia negativa e as pessoas tem medo de ir la.

Entao a Kelly vira pra mim e diz que duvida que eu va ate la. No mesmo segundo eu virei em direcao aos tumulos e fui direto e fiquei la um tempao lendo os nomes, hahaha. Nada me seguiu pra casa e nem senti vibracao negativa nenhuma.

bjos

zzaguiar said...

... KKKK, menos pior!

Bjs.

Rafaela said...

Ai, Lu, amei a história. Na verdade, eu amo história!!! Se Deus quiser ano que vem eu vou a Portugal pra conhecer um pouco do nosso passado e procurar parte da minha família que ficou por lá!

Bia said...

Eu ia morrer de medo desse cemiterio, e das historia tambem! hahhaha!!

bjo

Mila Viegas said...

Li tudin... rsrsrs...coloca mais aí! Adorei saber de coisas que eu nem imaginava, principalmente sobre os sapatos enterrados (não sabia disso mesmo!). Muito interessante.

please next... rsrsrs

Fernando said...

Lucia eu tbem gosto de coisas "velhas" desde que sejam carregadas de história, cemitério é outra coisa que gosto, se for problema de gente com parafuso de menos na cabeça fazer o que né, deu repulsa da "receita" do remédio e eu tenho a petulância de reclamar de remédio com gosto ruim, sorte a nossa mesmo ter nascido em um tempo com a medicina moderna. Outra coisa curiosa como disse a Mile foi o sapato enterrado pra proteger a casa, cada costume doido não, proteger de quem das bruxas, aguardando a continuação da aventura, ate mais abraço.