Wednesday, January 23, 2008

Choque de inverno

Uma coisa que mais detesto nessa epoca do ano sao os choques que tomamos quando encostamos a mao em metais ou coisas parecidas. Doi pra cassete!! Eu levo choque quando encosto a mao em qualquer macaneta, em bebedouros, na porta do carro, camera e ate mesmo outra pessoa.

Hoje eu e Al resolvemos sair pra jantar. Virei as costas pra ele por um segundo pra pegar meu casaco e ele foi apagar a luz da sala. Nesse instante, nao so ouvi o barulho ou estalo dele levando choque ao encostar a mao ali, mas antes dele apagar a luz, deu pra VER a luz do quarto todo tremer por uma fracao de segundos. Acho que se tivesse olhando pro interruptor daria pra ver ate uma faisquinha. Ele soltou um palavrao e eu comecei a rir falando "Oh my God!". Nem acreditei que foi tao forte assim.

Mas isso quando acontece, e' bem incomodo. E ele falou que dessa vez nao foi so um choquinho de nada, disse que seu dedo estava doendo como se alguem o tivesse martelado. E eu so rindo, coitado. Eu ODEIO levar choque e sempre tomo bronca quando saio do carro dele e fecho a porta a empurrando pelo vidro... mas fazer o que? Prefiro levar bronca do que levar choque, rsrs.

Mas afinal, o que causa este choque? Quando andamos, ou dirigimos, criamos atrito entre a superfície do nosso corpo e as do ambiente. Podem ser o atrito das roupas ou o próprio contato com o banco do carro. Assim, devido à fricção, cria-se um acúmulo de cargas, que podem ser tanto positivas como negativas, dependendo do material.

No inverno, devido ao ar mais seco, essas partículas eletrostáticas que normalmente seriam dissipadas, tendem a se acumular no corpo. Logo, quando uma pessoa “carregada” encosta em um material condutor, como o metal (presente nas portas do carros) ou até mesmo em alguém com potencial elétrico diferente, essas cargas tendem a se transferir de um ponto para o outro. É como se fosse criado um caminho para elas percorrerem. Essa transferência é uma descarga elétrica, que é mais conhecida como choque.

Assim, ironicamente, podemos até dizer que não é o objeto que está dando o choque na pessoa, e sim, é a pessoa que pode estar descarregando cargas elétricas no objeto.

Outra coisa engracada que acontece e' os cabelos ficarem voando. Isso e’ devido a cada fio ter a mesma particula eletrostatica, o que as fazem se repelir. A Madison, filha do amigo da Laura quando sai conosco pra ir em lojas, gosta de ficar se arrastando e se metendo no meio das roupas penduradas. Sempre que sai do meio delas, fica com o cabelo todo em pe', me faz morrer de rir. Interessante isso, nao e'? Mas esses choquinhos sao bem chatinhos e incomodos!

17 comments:

Zezé said...

Bem, achei curiosos e interessante, vc não havia falado sobre isso comigo!

Bem, já que estão com cargas acumuladas e opostas se atraem, vc e o Al devem aproveitar para ficarem bem grudadinhos. Numa hora boa, segurem em um metal... o choque pode ser eletrizante... desculpe, mas não podia perder a oportunidade de zoar um pouquinho.

Estou rindo!!!!!!!!!!!

Bjos.

Laurinha said...

Tambem odeio esses choques, levo um quase todos os dias. Dizem que eh super perigoso quando a gente vai botar gasolina. As vezes eu vejo uns lembretes colados perto das bombas de gasolina, lembrando as pessoas a descarregar essa energia primeiro tocando outra coisa antes de tocar no pump para botar gasolina no carro. Pode causar incendios.

Mila Viegas said...

Hahahahaha.. desculpa rir, mas é engraçado. Interessante o que você colocou a respeito disso.
bjs

Depois dos 25, mas antes do 40! said...

Lu, fiquei pensando em uma coisa qdo li seu post anterior: "Você já pensou como vai qdo vc pisar no Brasil?" DEZ anos é muita coisa! Muita coisa muda, pessoas mudam, ruas, lojas... Vc tem uma imagem congelada na cabeça? Fica a idéia p um dia escrever um post. A imagem de seus primos, se seus amigos. Digo isso pq já fiquei sem ver algumas pessoas e lugares por anos e qdo os revi não entrava na minha cabeça, sabe? É isso, já escrevi demais.

Beijocas

Amara Ribeiro said...

Mas até com luvas? E de sapatos emborrachados?
Taí então a parte negativa do inverno daí...ODEIO tomar choques! Acho que se eu morasse aí e isso acontecesse comigo ia sempre acender e apagar as luzes com pauzinhos...kkkkk
Mil bjos

Patrícia said...

kkkkkkkkkk, nossa Lucia eu detesto esses choques, toda hora eu levo choque, eu tiro meu casaco e acendo a luz , levo choque, o Ben me da um bjo e me da um choque, choque pra todo lado, um dia ate saiu uma faisca, de tao forte que foiii, odeiooooooooooo choqueeeeeeeeeee


bjosss

Lucia Cintra said...

Zeze... sua palhaca. rsrs

Amara... com luvas, sapato de borracha, nao interessa, leva choque de qq maneira. E nao e' so tocando a luz, mas tudo de metal ou ate mesmo outra pessoa...

Flavia, eu sei que muita coisa mudou nesses 10 anos, e quando for visitar vou com certeza notar a diferenca. Mas acompanho tudo muito de perto, pois tenho amigos com os quais mantenho contato quase todo dia desde que sai do Brasil (ha 15 anos atras). Nao so acompanho suas vidinhas, mas tb o progresso da cidade alem de fotos.

Entao acho que nao vai ser tao chocante assim, sabe? Talvez um pc em relacao aos lugares, mas nao as pessoas. Bjinhos

Cristiane said...

Lembrei de um choque que levei alguns dias atras. Eu nao estava acostumada com isso la' no Brasil, mas quando aconteceu, eu fiquei boquiaberta porque alem de doer um pouquinho, faz ate' barulho!
Beijos

Sonho Meu said...

Acho que esses choques so acontecem no inverno...pelo menos por aqui.
Mas já sao 8 anos de choques e me acostumei toda vez quando vou abrir uma porta, ligar uma luz, pegar alguma coisa...primeiro tocar o objeto com as costas da mão e depois usar a mão propriamente dita...acho que isso descarrega sei lá. Outra coisa que eu faço é quando entro em qualquer loja, eu envolvo a minha mao na jaqueta que to usando, as pessoas me olham e acham que sou pineu e piradona da silva... to nem aí, so nao gosto de levar choque pois uma merda bem grande vai sair da minha boca com traduçao e tudo hehehehe Depois eu falo "sorry" e dou um sorriso amarelo.
bjokas,
me

Crica said...

Menina, não tinha a menor idéia de que isso acontecia por aí...rsrs
que coisa....

Fred said...

Oi, seu post foi super útil para a gente aqui. Estamos no Rio de Janeiro, debaixo de um maçarico (o sol) mas temos uma amiga em NY que mandou um rádio se queixando de choques que está levando sem parar. Me perguntou se eu sabia disso; fui procurar na internet e achei seu texto. Agradeço as informações!

Lucia Cintra said...

De nada, Fred! Sempre achei esse "fenomeno" interessante, mas odeio tomar choque!! Pode falar pra sua amiga que e' algo com o qual nos brasileiros, nao vamos nos acostumar nunca. Mt desagradavel. bjos

Patricia said...

Olá! Eu tomo choque (e dou choque) todo dia rsrs
Estava pesquisando no google e cheguei neste blog. Os choques que eu levo fazem barulho e se estiver em algum lugar mais escuro, dá até pra ver as faíscas rsrsrsrs
Vou começar a andar mais descalça...
Abs!!

Lucia Cintra said...

Oi Patricia, obrigado pela visita. Mas deixa eu te avisar uma coisa: andar descanca nao adianta nada... e' o atrito entre o carpete o voce que acaba causando. Eu ja tentei isso e continuei levando choque. =(

E' uma das unicas coisas que detesto por aqui nessa epoca do ano. Infelizmente nao tem jeito de escapar. rsrs

Anonymous said...

César

Sempre levo muitos choques durante o dia todo, mas o engraçado é que onde trabalho esses choques só acontecem comigo e aí todos ficam achando que é brincadeira minha, de verdade, ninguém lá acredita que esses choques acontecem mesmo...

erica said...

Gosteii muiiito da explicação, levo muiitos choque e gostaria de sabera razão pra isso.. São bem chatos e incômodos mesmo!!

Roselane Rocha said...

Nossa tenho o mesmo problema...ontem me informaram que antes de pegar nos objetos devo passar as mãos na parede para descarregar a energia acumulada. Fiz e deu certo.

Já estava sendo motivo de piada na empresa por sempre esperar alguém sair para aproveitar sem tocar na porta ou beber água sem ter contato com o bebedouro.

Espero ter ajudado...obrigada o post me ajudou bastante

Já estava pensando em procurar um médico.