Wednesday, May 19, 2010

Ponto de vista

Voces tem mania de olhar para as coisas ao seu redor e ficar filosofando sobre a vida? Eu acredito que o nosso "manual" de viver esta ali debaixo do nosso nariz, eh so parar pra enxergar.

Deixa eu dar alguns exemplos: Quando eu e Al fomos caminhar naqueles parques no final de semana passado, antes de entrar em alguma trilha, seguimos reto e fomos passando varias entradas pra trilhas diferentes a nossa direita e esquerda. Seguiamos em frente, pois eu nao conseguia ver o que tinha ali nos esperando ja que andavamos no meio de duas pedras grandes dos dois lados e que desviava o caminho levemente pra direita.

Estava curiosa pra ver onde esse caminho nos levaria e insistia pra continuarmos em frente. A cada passo, parecia que esse caminho continuava nos levando e curvando pra direita e eu ainda nao conseguia ver o que tinha ali a frente. Ate que o chao comecou a ficar meio lameado, pois tinha um riachozinho descendo pelo mesmo caminho no cantinho esquerdo desse caminho e Al comecou a reclamar que iamos nos sujar todos. Mesmo assim eu quis continuar (curiosidade mata), mas ele reclamou tanto que voltamos...

E nesse momento eu cheguei ate a mencionar a ele que eh engracado como nossa vida eh parecida. Seguimos em frente nesse caminho principal e passamos por varios outros, desvios ou bifurcacoes que temos a chance de escolher pra seguir. Falei pra ele: "Olha so, passamos por entradas de varias trilhas diferentes, caminhos que nos levarao a lugares completamente diferentes, mas decidimos seguir em frente pra ver onde nos levaria..." E quando comecou a ficar dificil de seguir (devido a lama do Al), retornamos e escolhemos outro caminho - eu mesma ja teria continuado em frente.

Notaram o paralelo? Nao eh igualzinho as escolhas que temos todo dia nas nossas vidas? Dependendo do que decidimos fazer, isso muda completamente o caminho por onde seguimos.

Outra coisa que fiquei pensando a respeito foi quando salvei aquela lagarta - tb nesse mesmo dia. Ja estavamos de saida do parque, pois os dois estavam famintos, mas passamos por um lugar tao bonito que insisti pra que voltassemos so por uns minutinhos. Al topou, entao eu virei o carro e segui ate ali. Andamos um pouquinho ao lado do rio ate que eu avistei uma pedra na qual cismei de subir em cima pra tirar fotos. E dela, eu avistei a lagarta se agarrando a um pedacinho de pau pra nao se afogar.

A minha teimosia insistiu em salva-la mesmo me arriscando a cair ali dentro do rio e mesmo com os protestos do Al. Sei que eh um bichinho ou inseto meio insignificante, mas fiquei pensando em como nossas acoes e decisoes tb afetam a vida de outras pessoas. Se nao tivesse decidido voltar pra experienciar esse lugar, andado ate essa pedra e avistado essa lagarta, ela teria morrido afogada. E Al disse uns dias depois que a salvei do afogamento pra provavelmente ela virar comida de passarinho, hahaha. Eh mole?

Nao sei porque eu sempre "traduzo" esses momentos comuns do nosso dia a dia a coisas maiores. As estacoes diferentes que temos aqui nos mostra uma coisa que eh tao clara pra mim! Que a vida sempre tem um ciclo. Morre no inverno, mas resnasce tao lindamente na Primavera! Isso nos ensina como superar obstaculos dificieis. Apesar da rigidez do inverno, do frio intenso, da neve que as vezes nao nos deixa sair em casa, podemos renascer como as pequenas folhinhas verdinhas das arvores fazem depois desses 3 ou 4 meses debaixo dessa condicao gelida e sem vida. E elas vem com tudo! Com cores lindas, brilhantes e com uma determinacao sem igual!

Uma vez li que milho de pipoca que nao passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca para sempre e nao sabe que pode se transformar em algo diferente e melhor... Me fez pensar.

E por ultimo, me lembro tb de um caminho que tomava pra ir pro trabalho que um dia foi fechado devido a uma construcao. Me lembro de ter ficado meio P da vida, pois era o melhor caminho que tinha: mais rapido, curto e que evitava trafico. Tive que seguir o desvio que eles nos davam e era um super longo e comprido, nao dava! No dia seguinte resolvi explorar e decidi seguir um outro pelo qual nunca tinha ido antes. E pra minha surpresa, esse era muito mais curto e rapido do que o primeiro com o qual estava acostumada.

E no caminho pra casa mais tarde, ao seguir esse mesmo novo caminho de volta, fiquei pensando e analizando a situacao. Pensava que se esse primeiro nao tivesse sido fechado, eu nunca teria arriscado a tentar seguir esse segundo e nunca saberia como esse mesmo era mil vezes melhor. Estava acostumada com a rotina do primeiro que ja era satisfatorio pra mim, e por isso nao arriscava ou tentava algum outro diferente.

Nao eh assim com a vida tb? As vezes algo tem que acontecer pra nos desviar do caminho no qual seguimos confortamente, pois nos acomodamos com esse e nao arriscamos a tomar outros novos. E muitas vezes esses novos, sao caminhos muito mais ricos, satisfatorios e super excitantes, tendo capacidade de dar uma tremenda renovada a nossas vidas.

Mas e voces? Conseguem ver e ficam deduzindo essas coisas somente por outras simples que acontecem nos seus dia a dia? Ficam filosofando tb assim como eu?

16 comments:

Anonymous said...

Lu, eu sou assim tb. Filosofo muito…haha, Bryan eh o “pratico”. Eu sou a que “enxerga alem”.

Acredito que tudo na vida acontece por uma razao, e que o destino conspira a nosso favor. O negocio esta em como enterpretamos e como lidamos com esses acontecimentos.

Hahaha, Agora essa do Al, de que ela teria virado comida de passarinho foi fogo hein, hahaha. Ri demais. Mas olhe, filosofando, pelo menos voce salvou a comida p um passarinho, jah pensou se nao tivesse salvo a lagarta?

O passarinho poderia nao encontrar mais comida naquele dia, entao voce salvou 2 animais! Hahah.
To brincando!

Crica said...

Menina, qu coincidência...acabei de "filosofar" sobre sonhos no meu blog e achei seu post bem interessante, parece que seu pensamento tava em sintonia com o meu...

Mila Viegas said...

Lu, você acabou de escrever um belo texto que daria um super post para a nova blogagem "Vida Simples"... rsrs.
Concordo em gênero, número e grau. Também penso muito dessa forma e procuro observar isso no cotiano.

Por isso que eu bato na tecla de que tudo tem uma razão de ser. Às vezes estamos no controle, outras vezes não. No caso que você citou sobre o caminho interditado, você não estava no controle da situação e ela aconteceu para te revelar algo ainda mais proveitoso: um caminho alternativo e ainda mais curto que o anterior. Viu como não depende 100% das nossas escolhas? Aliás... deixa eu reformular: depender depende, mas a sua escolha inicial foi se estressar com a interdição. Como vc mesma disse, se este fato não tivesse ocorrido vc continuaria na mesma rotina. Então, precisou acontecer independente da sua vontade.

Em relação ao passeio que você fez... aí a escolha foi 100% sua de seguir através da lama ou não. Assim como a escolha de salvar a lagarta.. Vc poderia nem tê-la visto, como algumas pessoas na mesma situação, não a observariam.

Então você entrou em contato através desse relato com aspectos muito simples da vida que, a maioria das pessoas na correria diaria deixariam passar despercebido.

Isso é o que eu chamo "ter olhos para ver" e este texto seu traduz exatamente o exercício que eu pretendo fazer com todos os participantes dessa nova Blogagem Coletiva.

Adorei!!!!

Lucia Cintra said...

Mi, eu ainda acredito que as coisas dependem 99% de nossas escolhas. O lance da lama interditando o caminho nao iria me deter, pois estava curiosa de seguir em frente e ver o que tinha mais ali. O que me deteu foi o chato do Al ficar reclamando que nos encheriamos de lama - nao tava tao ruim assim.

Se estivesse sozinha teria seguido em frente, mas sei o que quis dizer sobre esses obstaculos nos fazendo mudar de direcao. Podemos ate mudar de direcao, mas acredito que ainda ha jeitos de contorna-los, entende?

bjos

Bia Mendonça said...

Teve uma epoca que eu estava mais assim, tentando ver motivo em tudo, licoes em tudo... analisava as coisas que me aconteceu ou as que me aconteceram e tentava enxergar o motivo das coisas. E pensar nos caminhos e decisoes que tinha feito e que me trouxeram ate onde estou!
E acho fazer isso extremamente fundamental! Faz bem para gente pensar nessas coisas e leva a gnete a lugares melhores tb!

bjs

Eduardo said...

A cada momento tomamos decisoes que trazem consequencias. A cada momento estamos em frente a uma encruzilhada de dezenas de ruas e temos que escolher uma. O que acontece depois eh consequencia de nossa escolha. Depois de tomada a decisao nao ha volta, pois mesmo que voce volte nao sera mais naquele horario e muita coisa ja sera diferente. Lembra-se do filme "sliding doors?".
Assim eh a vida; precisamos tomar o cuidado ao escolher a direcao porem sempre existira o imprevisivel. Nessa hora temos que consertar e ir em frente; nunca desanimar e ficar no chao. A lagarta que voce salvou vai fazer muita diferenca, vai comer plantas, vai gerar mais lagartas, etc o que nao aconteceria se morresse afogada. Por outro lado teve um peixe que nao se alimentou, plantas que nao seriam desfolhadas pela lagarta e suas descendentes, etc, etc. Isso eh so um exemplo da enormidade de consequencias que um pequeno gesto acarreta. Tudo na vida eh assim.
pense como seria sua vida se eu nao tivesse vindo para um trabalho temporario de "3 anos"...
beijos
Dad

Wilma said...

Sim, filosofo bastante, mas às vezes dá um nó na cabeça...são tantas escolhas que temos que fazer na vida sem saber se é a melhor, mas como sou teimosa e persistente, dificilmente dou uma guinada de 180 graus...e quando dou, dá tudo na mesma. A vida é uma caixinha de surpresa, não tem jeito, ela sempre se impõe.

Nani said...

Lu, respondendo ao seu outro comment sobre Lost...

Eu tb to torcendo por pelo smoke monster, haha. Eu nao suporto o tal do Jacob! Ele vive com cara de drogado haha.
Na verdade um dos motivos pelos quais eu nao estou gostando muito do rumo que ta levando eh exatamente por causa dessas questoes, que to achando que nao vao ser "explicadas". Eles fizeram tantas historias, e agora que ta no final tao tentando "rap it up" e nao to vendo explicacao nenhuma p muitas das coisas que aconteceram. E a serie ta acabando. Por isso que to assistindo ainda, soh p ver se vao mesmo conseguir dar uma razao p tudo. Eu to achando que os escritores tao mais perdidos do que barata tonta. Eu espero estar errada pois eu adoro Lost!

Ah, sabe qual personagem eu gosto na serie?? Ben Lynus!!! hahah Adoro ele. Eh um camaleao, nunca sabemos o que esperar dele. Tem hora que da pena dele, tem hora que ele assusta, tem hora que ta doido, e tem hora que ta "sao". Adoro! Ah, e meu favorito eh o Desmond!!! hehe Bryan disse que quando tivermos um filho vai se chamar Desmond! hahaha

Lucia Cintra said...

Ihhhh Nani, to vendo que a gente deve fazer um joint post quando assistirmos o final. Tb AMO o Ben, morro de pena dele e quero ve-lo bem junto com o smoke monster, hahaha. Eu ja nao ligo mt pro Desmond. Cara, quem dera se pudessemos assistir o finale juntas!! Seria uma Lost party! bjos

zzaguiar said...

Caminhar Lucinha sempre me traz uma sensação maravilhosa! sensação de vida, liberdade... Daí começo a viajar entre os mais variados pensamentos. É como se eu naquele momento pudesse ter duas das melhores sensações simultâneamente: A felicidade por saber que ir para frente com meus pequenos passos, pode me levar a descoberta do novo e ao essencialmente bom e melhor, e, a certeza de que tudo que não tem mais importância em minha vida fica para trás. É um momento que comtemplo a vida e o mais importante: me sinto muito alegre, renovada! Pura sensação de liberdade!

Nossa, caminhar no praião de Piratininga, é algo de valor incomensurável!!!!!!!!

Saudades, zz.

Anathalia said...

Lucia! Viajei e acabei "perdendo" o post em que você postou o endereço novo do blog! Estava achando estranho você sem atualizar o blog por tantos dias! Hahahah! Que tonta! Já vou trocar o endereço na minha lista. Um beijo!

Barbie Girl said...

Lu que post magnífico!!

Realmente nós seres humanos temos medo do novo e isso nos faz perder coisas muito melhores, pelo simples fato de tentar e de inovar!
As vezes por um probleminha, uma dificuldade, queremos recuar e não se pode pensar e agir assim, pois nunca vamos amadurecer.
Um exemplo são os casamentos de hoje em dia, casam sem amor e na primeira dificuldade se separam, pois já casaram pensando que se não desse certo, se separam... é triste, ridículo... mas... é preciso fazer a nossa parte e ser feliz, correndo risco, enfrentando novas situações, mas seguindo em frente sem voltar atrás!!

beijos e bom fim de semana!!

P.s: Nem vou reler meu coment, pois deve estar meio confuso... hahaha

Lu Souza Brito said...

Lú, ás vezes me pego nestas filosofias também! E penso: nossa, porque aconteceu isso? O que este acontecimento quer mostrar na minha vida? E vai desde o onibus quebrar no caminho do trabalho, a moto nao querer ligar devido ao frio.
E claro, outras coisas maiores que nem sempre temos a percepção correta. As escolhas estão ai diariamente. Como a Mila disse no conto dela, algumas portas aparecem no nosso caminho, mas a gente decide se esta pronta para: fechá-la, avrí-la, explorá-la, enfim..escolhas, sempre!

Wilma said...

Lucia, fiquei curiosa em saber se aí nos EUA esse tipo de mão de obra, jardineiro/paisagista é fácil de encontrar, pq aqui é caro, e não é seguro deixar um profissional sem "boas" referências entrar em sua casa, há alguns se oferecendo, mas, é perigoso. De qualquer forma manter um jardim bonito, uma grama verdinha e aparada dá trabalho, mas compensa muito.

Nani said...

hahaha, Lu, pena mesmo, seria otimo. Bryan tb ia gostar, eh viciado, mas como eu anda meio desgostoso com o rumo da estoria. Vamos ver...

Beijossss

Mariel Stüpp said...

Adoro filosofar assim também! Tudo nessa vida é acão e reacão, acho fascinante os desdobramentos!
A gente tem tanto pra aprender com tudo nesse mundo, até com as coisas mais simples, como a história da pipoca (que eu não conhecia amei!). Acho sinceramente que o mundo seria um lugar melhor se todos tivessem essa sensibilidade de aprender com a natureza da coisas.